Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Pós Graduação em Administração
Administração - Apresentação Administração - Informações Gerais Administração - Corpo Docente Administração - Núcleos de Pesquisa Administração - Perguntas Frequentes Administração - Links
Voltar para Página inicial
Áreas de Concentração
Mestrado Administração
Doutorado Administração
Disciplinas Administração
Processo Seletivo Administração
 Administração - Projetos Realizados
 Administração - Dissertações
Administração - Agenda e eventos programados
Administração - Gestão Sustentável
Administração - Boletim BISUS
Administração - Boletim on-line BASTA
Administração - Agenda de Eventos

Veja mais eventos

> Calendário Acadêmico
> Defesas da Semana
> Secretaria Acadêmica
> Bolsas de Estudo
> Expediente da Secretaria
> Biblioteca
Pós Graduação PUC-SP - Secretaria de Processamento de Dissertações e Teses

Relatório de Defesas em ADMINISTRAÇÃO
Período:
01/01/2008 a 31/12/2008
Quantidade de defesas: 45

Data: 18/11/2008
Autor (a): ANDRÉ AMARAL PINTO
Título: TELECOMUNICAÇÕES PARA POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA NO BRASIL: COMO GOVERNO E INICIATIVA PRIVADA PODEM ATENDER ESSE MERCADO
Banca:
MARIA CLOTILDE PEREZ RODRIGUES BAIRON SANT´ANNA (Orientador) [PUC-SP]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO [PUC-SP]
LEANDRO LEONARDO BATISTA [USP]
ENEUS TRINDADE BERRETO FILHO (Suplente) [USP]
LADISLAU DOWBOR (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: Este trabalho trata de estratégias que governo e iniciativa privada podem adotar para levar serviços de telecomunicações para a população de baixa renda, com modelos de negócio sustentáveis e lucrativos, sem recorrer a políticas assistencialistas. Pretende-se mostrar o quanto os serviços de telecomunicações dirigidos para a baixa renda podem ser transformadores, tanto no seu ambiente próprio, como no âmbito nacional. Serão enfocadas algumas iniciativas desenvolvidas ao redor do mundo onde o atendimento deste mercado de baixa renda traz melhoras para a economia do país e para os resultados das empresas. Também discutirá o papel do governo como regulador de mercado, estimulador da concorrência, investidor direto e agente arrecadador. Por fim será discutido o lado das operadoras de telecomunicações, para quem o atendimento à base da pirâmide não deve se tratar de lutar pelos poucos reais que a população pode dispor para sobreviver, mas sim de trazer meios para ela ter condições de incrementar seus ganhos por meio de serviços inovadores, de forma que ambos ganhem.



Data: 07/11/2008
Autor (a): ANTONIO JOSÉ MACHA ORNELLAS
Título: COMPETÊNCIAS DE LIDERANÇA EM PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA DO SEGMENTO HOSPITALAR
Banca:
NEUSA MARIA BASTOS FERNANDES DOS SANTOS (Orientador) [PUC-SP]
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS [PUC-SP]
CLAUDE MACHLINE [FGV/RJ]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Suplente) [PUC-SP]
MARIA CECILIA COUTINHO DE ARRUDA (Suplente) [FGV/RJ]
Resumo: O presente trabalho teve por objetivo analisar, através da aplicação de um estudo de caso, as competências de liderança em pesquisa de clima organizacional, na ótica dos funcionários de uma empresa do segmento hospitalar, nos anos de 2004, 2006 e 2008. A partir desse objetivo, foi feito um estudo sobre a evolução das percepções sobre as competências de liderança neste período de tempo. Para tanto, partiu-se de dois conjuntos de proposições: 1) Nos resultados da pesquisa organizacional deve estar presente a percepção relacionada às competências de liderança; 2) As competências de liderança devem exercer influência nos resultados da pesquisa de clima organizacional. Para o desenvolvimento do estudo aqui proposto, a metodologia utilizada abrangeu ferramentas de natureza qualitativa e quantitativa. Primeiramente, aplicou-se um instrumento – um questionário - para todos os funcionários da empresa durante os anos de 2004, 2006 e 2008. Posteriormente, foi realizada uma entrevista junto à responsável por Recursos Humanos e Coordenadora da Pesquisa de Clima da empresa pesquisada. Os dados coletados foram tratados utilizando-se o método de análise de distribuição de freqüência com suporte indicado pela PUC-SP. Os resultados demonstraram que as competências de liderança podem influenciar na pesquisa de clima organizacional.



Data: 15/10/2008
Autor (a): ANTONIO PAULO LAGE TERASSOVICH
Título: ANÁLISE DE PERCEPÇÃO DOS GERENTES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO PARA INVESTIGAR AS FORMAS DE EXERCÍCIO DO PODER NAS ORGANIZAÇÕES
Banca:
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Orientador) [PUC-SP]
LESLIE DENISE BELOQUE [PUC-SP]
SUZANNA SOCHACZEWSKI [DIEESE]
LEONARDO NELMI TREVISAN (Suplente) [PUC-SP]
REGINA HELENA PERES MARTINS (Suplente) [ESPM]
Resumo: O objetivo desta dissertação é examinar a percepção da gerência média de bancos comerciais, por meio de entrevistas, buscando compreender as formas de exercício do poder nas organizações em que trabalham. A pesquisa buscou compreender quais as práticas de poder que o gerente intermediário se utiliza, conscientemente ou não, para exercer suas funções. Escolheu-se o setor de crédito imobiliário dentro de instituições bancárias porque ele está em forte crescimento o que aumentou sua importância relativa dentro das áreas dos bancos caracterizando um momento de mudança neste setor. O volume de unidades financiadas com os recursos do SFH – Sistema Financeiro da Habitação em 2007 e início de 2008 alcançam, pela primeira vez, os volumes mais altos comparado com o início da década de 80, os maiores de todos os tempos. As perguntas que se faz são: Existe um espaço vazio deixado pelas normas organizacionais em que o indivíduo tem total liberdade de ação? Existe de fato um espaço de liberdade do indivíduo? E para efeitos deste trabalho, existe de fato um espaço de liberdade para o gerente de crédito imobiliário? E se existir, quais as percepções que podem ser encontradas neste espaço? Ou pelo contrário, as normas e a hierarquia dos bancos não deixam área de liberdade alguma? Para responder a essas pergunta a temática escolhida foi o poder e dentro deste contexto as análises das entrevistas serão conduzidas para investigar se é possível distinguir práticas de poder nas relações que os gerentes estabelecem quando exercem suas funções dentro do seu ambiente de trabalho. As análises das entrevistas identificaram alguns tipos de comportamento que os gerentes de crédito imobiliário se utilizam para conseguirem “agir sobre a ação dos outros” com o objetivo de exercer suas funções e alcançar as metas organizacionais dentro dos limites impostos pelas normas corporativas.



Data: 02/12/2008
Autor (a): ÁUREO MAGNO GASPAR PINTO
Título: AS RELAÇÕES DE PODER EM REDES DO TECEIRO SETOR: UM ESTUDO DE CASO
Banca:
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Orientador) [PUC-SP]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO [PUC-SP]
MARIA DA GLORIA MARCONDES GOHN [UNINOVE]
LUIZ CARLOS MEREGE (Suplente) [FGV/RJ]
ONESIMO DE OLIVEIRA CARDOSO (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: Sedimentadas em avanços de comunicação e como uma ampliação da ação da sociedade civil na busca de seus objetivos, as estruturas em rede tendem a ampliar sua atuação. Em especial, a reticulação da promoção do bem-estar e da educação traz novas perspectivas e desafios às entidades atuantes no terceiro setor, em seu compromisso social, na relação com o estado e na ligação entre estas entidades. Esta pesquisa é um estudo de caso em que se analisam as relações de poder em uma estrutura reticular de organizações sem fins lucrativos voltadas à educação de crianças e jovens, composta por cinqüenta e sete entidades com duzentas e quarenta e oito unidades de atendimento, buscando avaliar até que ponto a concentração de poder e a nucleação em um núcleo gestor podem ser fatores para a manutenção da integridade estrutural da rede. Serviu-se da Análise de Redes Sociais, ferramenta diagnóstica usada como metodologia para a identificação e entendimento dos laços que unem estas organizações. Alinharam-se cenários que comparam a rede mapeada em pesquisa e uma rede hipotética sem o núcleo gestor, e a seguir foram mensuradas e comparadas as medidas de concentração de poder para cada um dos cenários. A pesquisa identificou que a rede se constitui de forma razoavelmente descentralizada e com baixo índice de poder total, mas contendo subgrupos que concentram poder e elementos que podem fragmentá-la. Além disso, mostra a avaliação da importância deste núcleo gestor e a mensuração dos impactos de sua exclusão nos demais atores.



Data: 28/10/2008
Autor (a): CLAUDIA FERRETTO PALLADINO
Título: DIFERENCIAÇÃO NA VENDA DE LIVROS ACADÊMICOS POR MEIO DE COMÉRCIO ELETRÔNICO
Banca:
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS (Orientador) [PUC-SP]
ANTONIO VICO MAÑAS [PUC-SP]
NICOLAU ANDRE DE MIGUEL [FGV/SP]
FRANCISCO CLAUDIO TAVARES (Suplente) [UMC]
LUIZ CLAUDIO ZENONE (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: O objetivo deste trabalho é verificar como é realizada a venda de livros acadêmicos por meio de Comércio Eletrônico no Brasil, partindo da observação dos atributos que devem ser considerados para a atração e retenção de clientes. Paralelamente foram observadas as práticas de diferenciação nas estratégias e programas de marketing aplicados, de forma a atender os desejos dos consumidores e facilitar o acesso destes. O ponto de partida foram estudos realizados anteriormente por outros estudiosos do assunto, que detectaram como mais importantes os atributos relacionados à funcionalidade, design, conteúdo, produtos oferecidos, confiabilidade, usabilidade, meios de pagamento e comunicação com o cliente. A metodologia utilizada para a pesquisa foi a do tipo exploratória, com utilização de dados secundários em três etapas - levantamento de atributos mais importantes para a atração e retenção de clientes usados pelas livrarias on-line determinados em estudos realizados anteriormente, pesquisa de observação destes atributos em seis livrarias eletrônicas e levantamento de dados sobre o Comércio Eletrônico no Brasil. As principais conclusões se referem a pouca diferenciação das práticas adotadas entre as lojas eletrônicas avaliadas e que é possível utilizar com mais profundidade os recursos disponíveis pela tecnologia para o ganho de produtividade em vendas de livros acadêmicos por meio de Comércio Eletrônico



Data: 21/05/2008
Autor (a): CLAUDIA MARIA DO NASCIMENTO
Título: CAPITAL SOCIAL E TRABALHO VOLUNTÁRIO: UM ESTUDO SOBRE A PASTORAL DA CRIANÇA DE SANTOS/SP
Banca:
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Orientador) [PUC-SP]
ANDREA LEITE RODRIGUES [UNINOVE]
LADISLAU DOWBOR [PUC-SP]
ARNOLDO JOSE DE HOYOS GUEVARA (Suplente) [PUC-SP]
ROSA MARIA FERREIRO PINTO (Suplente) [UNISANTOS]
Resumo: Capital social é produzido e reproduzido por meio das relações interpessoais de cooperação. Quando, em sociedade, são cultivados a cultura de cooperação e o associativismo, os estoques de capital social tendem a aumentar progressivamente. No Brasil, hoje, podemos dizer que há baixa participação social, marcada mais pela ausência de uma cultura de ajuda-mútua e pela herança histórica de clientelismo e familismo, do que pela falta de solidariedade. O principal argumento dessa dissertação é que o trabalho da Pastoral da Criança incentiva a produção e reprodução de capital social. A organização tem como proposta a redução da mortalidade infantil em comunidades pobres, por meio de líderes comunitários, acompanha gestantes e crianças de zero a seis anos. Animado em rede, o objetivo do trabalho é a solução para o problema da mortalidade infantil com o incentivo da solidariedade entre as pessoas. A organização deixa claro para o voluntário sua missão e objetivos, bem como quais os resultados esperados. A pesquisa aqui apresentada, de natureza quantitativa e qualitativa, foi elaborada por meio de observação participante e de aplicação de um formulário. Objetivou-se verificar, por meio do relato dos voluntários da cidade de Santos, SP, como se dá a produção e a reprodução de capital social entre os voluntários. Os resultados da pesquisa mostram que dentre esses voluntários predominam mulheres acima dos 40 anos, que são mães que já criaram seus filhos e que agora se dedicam a ajudar outras mães nessa tarefa. A motivação para o desenvolvimento do trabalho está basicamente em ajudar o próximo e na importância dos vínculos entre voluntários e famílias. Fatores, esses, essenciais para a produção de capital social.



Data: 01/12/2008
Autor (a): CLOVIS SOLER GINES JUNIOR
Título: ANÁLISE DOS FATORES MOTIVACIONAIS DOS CORRETORES DE IMÓVEIS DA CIDADE DE SÃO PAULO
Banca:
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Orientador) [PUC-SP]
DERLY JARDIM DO AMARAL [MACKENZIE]
LEONARDO NELMI TREVISAN [PUC-SP]
ARNALDO JOSE FRANCA MAZZEI NOGUEIRA (Suplente) [PUC-SP]
ROBERTO GARDESANI (Suplente) [MACKENZIE]
Resumo: A rotina de trabalho do corretor de imóveis está associada à comercialização de um produto tangível (imóvel) ou intangível (imóvel na planta). Podemos encontrar muitas informações sobre o setor da construção civil, mercado imobiliário, investimentos no setor e outras informações importantes, mas dados quantitativos sobre estes profissionais são difíceis de encontrar. O corretor de imóveis realiza a sua atividade de maneira autônoma. Pode ou não estar associado a uma imobiliária, mas sem vínculos empregatícios com a mesma, uma característica que pode ser observada desde a origem da profissão. Quando associado a uma imobiliária faz parte do setor operacional e tem como responsabilidades atender os clientes e comercializar imóveis de alto padrão, médio padrão ou associativos, residenciais ou comerciais, rurais ou urbanos, com as opções de compra, venda, locação ou permuta. Tendo como base este perfil, o presente estudo procurou identificar quais os fatores que motivam os corretores de imóveis a seguir esta profissão. O objetivo desta dissertação foi de realizar um estudo exploratório sobre a profissão do corretor de imóveis. O procedimento metodológico, então foi de um estudo exploratório utilizado o modelo quantitativo com um questionário estruturado. A conclusão deste trabalho indica que: as condições de trabalho, as políticas de administração da imobiliária e a falta de reconhecimento no ambiente organizacional foram os principais itens de insatisfação. Porém, foi possível observar a importância do salário ou remuneração pelas vendas para está população, considerando que aqueles que estão satisfeitos com seus ganhos não apresentam insatisfeitos com as condições de trabalho, as políticas de administração da imobiliária ou a falta de reconhecimento no ambiente organizacional, ou seja, a pesquisa revela a seleção natural de características que se auto predispõem.



Data: 17/06/2008
Autor (a): DANILO SOARES CASTRO
Título: O PLANEJAMENTO DE CARREIRA DOS JOVENS EXECUTIVOS DE MERCADO FINANCEIRO
Banca:
LEONARDO NELMI TREVISAN (Orientador) [PUC-SP]
HELIO CESAR OLIVEIRA DA SILVA [SENAC]
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM [PUC-SP]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Suplente) [PUC-SP]
MOACIR DE MIRANDA OLIVEIRA JUNIOR (Suplente) [USP]
Resumo: A presente Dissertação analisa o planejamento de carreira, por parte dos jovens executivos do mercado financeiro de São Paulo. Os modelos tradicionais de carreira não são mais válidos. O foco de carreira, anteriormente baseado numa estrutura de cargos, passou a ser baseado nas pessoas. Os profissionais perceberam que suas carreiras não podem mais depender, exclusivamente, de decisões das empresas e sim, que eles mesmos devem buscar seu crescimento profissional, o que, muitas vezes, significava partir para outra empresa que lhes ofereça maiores possibilidades de desenvolvimento. Nesse contexto, este estudo busca mostrar o comportamento dos jovens executivos em relação às suas carreiras, suas características e especificidades, tal como suas atitudes no ambiente corporativo, considerando o cenário de carreiras sem fronteiras e comparando suas decisões com suas âncoras de carreiras. Este estudo realizou-se a partir da análise da população integral de 80, jovens executivos avaliados e destacados por consultores especializados (headhunters) no segmento financeiro e de questionário de âncora de carreira aplicado a esses jovens. O estudo mostra que esta população possui um leque maior de oportunidades, e parece que ela não se importa com a questão de estabilidade de trabalho e não mais valoriza permanecer anos numa organização, como já foi algo, socialmente, valorizado no passado. A carreira desses jovens se move por meio de fronteiras de empregadores distintos. Os jovens passaram a moldar o planejamento de suas carreiras de forma mais independente e pró-ativa, suas atitudes são refletidas nas suas âncoras de carreiras. O estudo também concluiu que os jovens estão conscientes e dispostos a enfrentar o trabalho árduo ao longo da vida profissional. A maioria deles concilia, com êxito, o trabalho com as demais atividades da vida pessoal.



Data: 05/11/2008
Autor (a): EDWARD YANG
Título: ANÁLISE DO EMPREENDEDORISMO NO SEGMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL: A EXPERIÊNCIA NA GEOBRÁS
Banca:
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Orientador) [PUC-SP]
JOÃO BATISTA BRANDÃO [FGV/RJ]
MARCIO SHOITI KUNIYOSHI [PUC-SP]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO (Suplente) [PUC-SP]
MARCIO ANTONIO RODRIGUES SANCHES (Suplente) [CESUSC]
Resumo: O empreendedorismo evoluiu, e com ele seus empreendedores mudaram seus estilos de fazer negócios. Alguns conceitos, características e fatores críticos ainda permanecem válidas apesar das singularidades que surgem. Este trabalho identificou algumas variáveis clássicas, agregou uma perspectiva sociológica, e as associou a preceitos contemporâneos. Esta configuração foi verificada em um estudo de caso brasileiro da construção civil. Por meio de análises bibliográficas sobre o tema do empreendedorismo e o confronto com dados reais da empresa apresentamos novos fatores aos conceitos vigentes.



Data: 26/05/2008
Autor (a): ELAINE MANDOTTI DE OLIVEIRA BRITTO
Título: A RELEVÂNCIA DA INTERNET PARA A CONSTRUÇÃO DE MARCAS PARA O PÚBLICO INFANTIL
Banca:
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO (Orientador) [PUC-SP]
JOSE ALBERTO CARVALHO DOS SANTOS CLARO [UNISANTOS]
ONESIMO DE OLIVEIRA CARDOSO [PUC-SP]
ARNOLDO JOSE DE HOYOS GUEVARA (Suplente) [PUC-SP]
BRAULIO OLIVEIRA (Suplente) [FEI]
Resumo: O presente estudo tem por objetivo investigar a importância da Internet como ferramenta de comunicação para a construção de Marcas para o público infantil, usando para isso, o referencial teórico presente na literatura sobre o Desenvolvimento Infantil, Comportamento do Consumidor e Importância da Marca. Como anseios adicionais, espera-se aferir a aplicabilidade da Internet na construção de Marcas para o público infantil para crianças brasileiras a fim de levantar hipóteses sobre os principais fatores que poderiam influenciar positivamente para a construção de marcas. Este trabalho apoiou-se em pesquisa exploratória, realizada com 31 meninas que acessaram o site: www.blogdajayne.com.br e responderam um questionário que permaneceu disponível no site. As principais conclusões apontam que a Internet pode ser um meio importante para a construção de marcas para o público infantil, que fatores demográficos determinam o perfil de consumidores de produtos cuja marca foi construída por meio da Internet e que a construção do personagem apresenta-se como um fator relevante para a constituição da marca.



Data: 22/10/2008
Autor (a): ELIAS BARQUETE ALBARELLO
Título: A RELEVÂNCIA DA CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS NA PROJEÇÃO DE MERCADO PARA O SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA - ESTUDO DE CASO: AES ELETROPAULO
Banca:
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO (Orientador) [PUC-SP]
ARNOLDO JOSE DE HOYOS GUEVARA [PUC-SP]
JOSE OSVALDO DE SORDI [UNISANTOS]
JOSE OSVALDO DE SORDI (Suplente) [UNISANTOS]
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: No contexto do novo modelo do setor elétrico, a projeção de mercado tornou-se uma ferramenta de considerada importância para o planejamento setorial e necessária em razão da complexidade do sistema energético nacional, tanto do lado da oferta quanto do da demanda. As mudanças sócio-econômicas e político-institucionais que ocorrerão nas próximas décadas permitem afirmar, com razoável segurança, que a evolução futura da demanda de energia, em particular da eletricidade, dificilmente seguirá os padrões do passado, devendo registrar movimentos diferenciados decorrentes das dinâmicas das variáveis que determinam o seu desempenho. De fato, o futuro é incerto e não pode ser previsto com exatidão e segurança, sendo na verdade o resultado de descontinuidades, rupturas e inflexões do padrão passado, altamente influenciado por novos fatos portadores de futuro e fruto de uma construção social. Com o objetivo de analisar a importância da construção de cenários para a projeção de mercado de energia elétrica, foi conduzido um estudo de caso da maior distribuidora de energia elétrica do país, a AES Eletropaulo, na qual se pode verificar a necessidade de utilização de modelos de construção de cenários, referenciados no desenvolvimento desta pesquisa, em razão dos resultados decorrentes do uso de metodologias tradicionais, que poderão impactar no nível de contratação de energia, condicionada a fatores macroeconômicos, sociais, institucionais, ambientais, tecnológicos etc, que apresentam uma relação de interdependência entre si, configurando uma extensa rede de influências mútuas.



Data: 21/10/2008
Autor (a): EVANDRO KLENGENFUSS VERONEZ
Título: AÇÕES DE RESPONSBILIDADE SOCIAL E MARKETING: UM ESTUDO DE CASO
Banca:
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS (Orientador) [PUC-SP]
FRANCISCO CLAUDIO TAVARES [UMC]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA [PUC-SP]
LUIZ CLAUDIO ZENONE (Suplente) [PUC-SP]
NICOLAU ANDRE DE MIGUEL (Suplente) [FGV/SP]
Resumo: Uma das grandes mudanças na forma de se fazer negócios nos últimos anos é uma preocupação aumentada com os impactos que as empresas criam no ambiente em que competem. A esta preocupação, de uma forma geral, se convencionou chamar de Responsabilidade Social Empresarial. Esta dissertação tem como objetivo analisar como as ações de Responsabilidade Social se relacionam com as atividades de marketing de empresas como: Aix Sistemas, Medley, Souza Cruz e a Natura. Para isto utilizou-se a metodologia de estudo de casos múltiplos. Como resultado, pode-se notar que no ambiente de marketing interno as empresas podem ter benefícios importantes potencializados pelo comportamento socialmente responsável, tais como: alinhamento dos funcionários aos negócios, maior motivação, ferramenta para condução de estratégias de vendas, utilização de funcionários para desenvolver ações sociais e até minimização de passivos trabalhistas. Por outro lado, a conduta de responsabilidade social empresarial quando relacionada às estratégias de marketing externo, demonstrou outras relações. Desde criação de barreira estratégica, passando por sustentabilidade dos negócios e impactos importantes na comunicação, gerando mídia espontânea ou de baixo custo e estratégias de marketing utilizando filantropia estratégica. Desta forma, a conduta de responsabilidade social empresarial se mostra grande parceira do marketing. Em continuidade à linha de pesquisa onde este trabalho se insere, é possível aguardar novos estudos que relacionem o comportamento de responsabilidade social empresarial a uma nova forma de se fazer marketing, pois ao mesmo tempo em que cria oportunidades para a empresa em diversas esferas, são dados passos importantes no sentido de melhorar a sociedade como um todo.



Data: 18/06/2008
Autor (a): FERNANDO CORRÊA GRISI
Título: EMPREENDEDORISMO SOCIAL: UMA PESQUISA EXPLORATÓRIA DE AÇÕES DE DISSEMINAÇÃO NO BRASIL
Banca:
ARNOLDO JOSE DE HOYOS GUEVARA (Orientador) [PUC-SP]
CELSO CLAUDIO DE HILDEBRAND E GRISI [USP]
LADISLAU DOWBOR [PUC-SP]
ALESSANDRO M. ROSSINI (Suplente) [FACINTER]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: Em um passado recente, as organizações não estavam preparadas, ou capacitadas, para garantir boa distribuição de renda e acesso a mecanismos facilitadores para o desenvolvimento sustentável. Hoje, elas têm o grande desafio de tornar a vida no planeta mais justa. O modelo de desenvolvimento neoliberal entrou em crise e a preocupação social está em buscar modos de fazer negócios que levem a ciclos de desenvolvimento, em que a economia e a responsabilidade social e ambiental sejam importantes, como no caso do Tripé da Sustentabilidade. Desde a primeira metade do século passado, o empreendedorismo passou a ser foco das atenções de pesquisadores em diversas áreas do conhecimento, mais especificamente na área de administração de empresas. Os empreendedores são cada vez mais reconhecidos como responsáveis por micro, pequenas, médias e grandes organizações, que são responsáveis pelo desenvolvimento local, regional, nacional e global, em particular, devido ao seu potencial de inovação. O objetivo da pesquisa é apresentar as características de comportamento do empreendedor e a sua capacidade de criação e implementação de novos modelos de negócios. A abordagem do tema envolveu um levantamento de teorias e conceitos sobre empreendedorismo e desenvolvimento social; em seguida, pesquisou-se sobre ações empreendedoras, mais especificamente no âmbito social, que estão favorecendo a disseminação do empreendedorismo no Brasil. Os dados foram coletados de diferentes fontes como relatórios recentes do GEM e SEBRAE, que ajudaram a estudar projetos e programas como os da Ashoka, da Artemísia e da Secretaria do Trabalho e Empreendedorismo Social do Ceará. O empreendedorismo no Brasil apresenta vitalidade crescente graças, em particular, a programas de facilitação para o desenvolvimento de novos negócios como os do SEBRAE e não há dúvida de que o potencial de criação de novos negócios por empreendedores é muito importante para o desenvolvimento local sustentável, principalmente quando ele é orientado por programas que promovem responsabilidade social e ambiental. Esta é a chave para o futuro desenvolvimento do nosso país.



Data: 10/06/2008
Autor (a): FLAVIA CRUZ SIMON
Título: MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM MODELO TEÓRICO PARA SERVIR COMO GUIA NA IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS DE FIDELIDADE
Banca:
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO (Orientador) [PUC-SP]
EDSON CRESCITELLI [USP]
ONESIMO DE OLIVEIRA CARDOSO [PUC-SP]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO (Suplente) [PUC-SP]
JOSE ALBERTO CARVALHO DOS SANTOS CLARO (Suplente) [UNISANTOS]
Resumo: Este estudo tem como finalidade a construção de um modelo teórico e a análise de seu aproveitamento na implantação de programas de fidelidade. Basicamente, sua estrutura desenvolve-se em duas partes: a pesquisa bibliográfica e a de campo. A pesquisa bibliográfica compreende a análise da evolução do contexto de marketing na ótica do marketing de relacionamento e, em seguida compila diferentes aspectos sobre programas de fidelidade com o objetivo de construir o modelo. A pesquisa de campo é a aplicação do modelo proposto, o qual está respaldado pelo estudo bibliográfico pesquisado, em um estudo de caso único, Estudou-se a Intel, empresa de caráter b2b, inserida no mercado de computadores e que apresentou disposição em contribuir com subsídios minuciosos para a aplicação do modelo. O resultado mostrou que o modelo teórico aqui proposto se comportou de maneira satisfatória frente ao propósito desta tese. Por meio de sua aplicação, sugestões de mudanças importantes foram pontuadas sobre o programa de fidelidade da Intel, para que esta consiga melhores resultados.



Data: 20/05/2008
Autor (a): FLAVIO ANTONIO ANGELIN
Título: BARREIRAS NA CAPTAÇÃO DE RECURSOS. UM ESTUDO A RESPEITO DAS BARREIRAS DE INVESTIMENTO PARA O INVESTIDOR EM INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTES
Banca:
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS (Orientador) [PUC-SP]
ANTONIO VICO MAÑAS [PUC-SP]
RICARDO HUMBERTO ROCHA [FIA]
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO (Suplente) [PUC-SP]
NICOLAU ANDRE DE MIGUEL (Suplente) [FGV/SP]
Resumo: Este trabalho objetiva investigar as barreiras encontradas pelos investidores, pessoas físicas, quando da decisão de aplicarem seus recursos em instituições financeiras de pequeno e médio portes. Foi realizada uma pesquisa de campo com potenciais investidores e para se obter um resultado mais fundamentado, partiu-se de alguns pressupostos teóricos observados com os investidores no mercado financeiro, como prováveis barreiras para investirem em instituições financeiras de pequeno e médio portes. Como vista na compilação dos dados da pesquisa, a barreira que apareceu em primeiro lugar foi a do desconhecimento que os investidores têm em relação às instituições financeiras de pequeno e médio portes, ocasionado pela falta de informações, o que contribui para a pouca credibilidade. Tanto os resultados como as proposições poderão fornecer a estas instituições subsídios para as análises mercadológicas e implementação de ações direcionadas a vencer estas barreiras, ampliando sua base de clientes, captando mais recursos e, conseqüentemente, propiciando um crescimento mais sustentável de suas carteiras de empréstimos.



Data: 28/10/2008
Autor (a): FLÁVIO CELSO MÜLLER MARTIN
Título: A TEORIA DO CICLO DE VIDA FAMILIAR NO CONTEXTO BRASILEIRO
Banca:
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS (Orientador) [PUC-SP]
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO [PUC-SP]
NICOLAU ANDRE DE MIGUEL [FGV/SP]
FRANCISCO CLAUDIO TAVARES (Suplente) [UMC]
LUIZ CLAUDIO ZENONE (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: Um dos conceitos mais discutidos nas ciências sociais é o de Ciclo de Vida. Trazendo para a área de Administração e Marketing, uma das variantes desse conceito é o de Ciclo de Vida Familiar (CVF), que conceitualmente envolve a noção de que ao longo do tempo a família atravessa uma série de estágios separados por transições previsíveis como casamento, nascimento, morte, saída de casa de algum elemento, aposentadoria e outros. A problemática do CVF se traduz em função das diferenças sociais e comportamentais entre países ao longo do tempo. Se a teoria aceita é baseada na realidade da Academia americana, como é possível utilizar o conceito no Brasil, seja em termos acadêmicos, seja em termos comerciais? Este trabalho visa entender e aplicar um modelo vigente, adaptado à realidade brasileira, através do cruzamento do referencial teórico disponível sobre o tema com dados secundários obtidos no IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Dos vários enfoques existentes, foi selecionado o modelo Gilly-Ennis, que apresenta uma série de características favoráveis à realidade brasileira. Consistindo em 13 estágios com possibilidade de fluxos alternativos e de retorno, o modelo Gilly-Ennis é bastante citado na literatura acadêmica. Para entender se esse modelo tem utilização prática no mercado brasileiro, os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2006 foram analisados de maneira exploratória e depois aplicados através de cruzamento de variáveis para cobrir todos os estágios descritos utilizando como ferramenta o software estatístico Minitab 14. Após a determinação dos percentuais relativos a cada estágio, uma análise crítica demonstrou sua aplicabilidade, apesar de alguns ajustes nas variáveis e da baixa representatividade de dois estágios. São sugeridos estudos futuros para melhor adaptar o modelo ao mercado brasileiro através da desagregação de um estágio e da fusão dos estágios pouco representativos dentro do modelo.



Data: 28/02/2008
Autor (a): FRANCISCO RODRIGUES GOMES
Título: DIFUSÃO DE INOVAÇÕES, ESTRATÉGIA E A INOVAÇÃO: A CONSTRUÇÃO DE UM MODELO ORIENTATIVO PARA OS GESTORES DE EMPRESA
Banca:
ANTONIO VICO MAÑAS (Orientador) [PUC-SP]
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS [PUC-SP]
SERGIO GOZZI [USP]
CARLOS OSMAR BERTERO (Suplente) [FGV/RJ]
LEONARDO NELMI TREVISAN (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: O presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de fornecer uma contribuição para a construção de um modelo conceitual considerando a teoria de difusão de inovações, estratégia e a inovação. O trabalho utiliza como base teórica a tipologia de Treacy e Wiersema (1995) e Hax e Wilde (2001) como condutora da visão estratégica, a teoria da inovação de Christensen (2003) e como referência de escolhas de caráter inovativo, a teoria que trata da difusão de inovações explanada por Rogers (1995) para propor um modelo de análise denominado DEI (difusão de inovações, estratégia e inovação) que auxilie gestores e empreendedores, levando em consideração cada etapa da difusão de inovações e tendo em vista a estratégia empresarial e a estratégia de inovação a serem sugeridas. E, desse modo, prover um instrumento de trabalho que auxilie a estruturação do pensamento estratégico e forneça uma visão da situação perante o ambiente de negócios.



Data: 29/05/2008
Autor (a): GILBERTO CAVICCHIOLI
Título: ESTILOS DE LIDERANÇA DE FUNDADORES DE EMPRESAS FAMILIARES DO SETOR DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL E A CONTINUIDADE DO NEGÓCIO
Banca:
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Orientador) [PUC-SP]
LEONARDO NELMI TREVISAN [PUC-SP]
RICHARD LUCHT [ESPM]
ANTONIO GILBERTO R. NOGUEIRA (Suplente) [PUC-SP]
REGINA HELENA PERES MARTINS (Suplente) [ESPM]
Resumo: A presente dissertação tem por finalidade analisar as relações entre os estilos de liderança e a continuidade do negócio na percepção dos fundadores de empresas familiares do setor de transportes de cargas no Brasil. Pretende-se contribuir no modo de avaliar aspectos da estrutura organizacional das empresas de transporte rodoviário de cargas, as ETCs, no sentido de averiguar como os fundadores ou principais gestores dessas empresas consideram que seus estilos de liderança sinalizam respaldos para a continuidade do modelo de negócio. A estrutura deste trabalho compreende a elaboração de uma parte teórica com discussões acerca de liderança e empresa familiar, desenvolvida nos dois primeiros capítulos, e outra de caráter investigativo, envolvendo uma pesquisa de campo constituída a partir de entrevistas com fundadores ou principais gestores de dez empresas familiares do setor de transporte rodoviário de cargas. Os critérios envolvidos para a seleção de tais empresas levaram em consideração o fato de serem empresas familiares e que os fundadores ou seus descendentes tivessem participação ativa na condução dos negócios e outras atividades da empresa. A partir das entrevistas obtidas constatou-se um alinhamento entre as teorias selecionadas para esta dissertação e as afirmações dos dirigentes das ETCs sobre trajetória das atividades comerciais realizadas no decorrer do tempo. Apesar de os entrevistados salientarem a importância do papel do líder ao conduzirem os negócios, afirmam que estilo de liderança não é o fator decisivo na continuidade da empresa ou no sucesso que ela tenha adquirido com o tempo; esta questão da continuidade da empresa familiar pode depender da adoção pelo fundador, de estilos de liderança que priorizem o desenvolvimento das habilidades específicas dos herdeiros e na potencialização de suas capacidades mais eficientes e não apenas na base de um efeito magnético.



Data: 13/10/2008
Autor (a): GISELE SEABRA ABRAHIM
Título: A INFLUÊNCIA DOS VALORES HUMANOS NA DETERMINAÇÃO DAS ÂNCORAS DE CARREIRA
Banca:
NEUSA MARIA BASTOS FERNANDES DOS SANTOS (Orientador) [PUC-SP]
CLAUDE MACHLINE [FGV/RJ]
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO [PUC-SP]
HAMILTON D ANGELO (Suplente) [PUC-SP]
MARIA CECILIA COUTINHO DE ARRUDA (Suplente) [FGV/RJ]
Resumo: O objetivo geral deste trabalho é analisar a influência dos valores humanos na determinação das âncoras de carreira visto que as predisposições profissionais recebem influência da centralidade do sistema cognitivo, isto é, dos valores, que são concebidos como critérios capazes de influenciar as ações, escolhas e comportamento humano, interferindo na maneira pela qual o indivíduo julga a si mesmo e aos outros. Nesse sentido, os valores humanos afetam as ações das pessoas sobre o seu trabalho; e aliados às motivações e ao talento estimulam as decisões de carreira (SCHEIN, 1993). Os estudos do Massachusetts Institute of Technology (MIT) identificaram oito categorias de inclinações profissionais, também denominadas de âncoras de carreira, que são estimuladas por apetites, sentimentos e necessidades e estabelecem-se a partir da construção do auto-conceito (SCHEIN, 1993). Partindo dessa premissa, permite-se inferir a existência de um relacionamento estreito entre os valores humanos e as âncoras de carreira. Diante do exposto, os indivíduos com as mesmas âncoras de carreira tendem a priorizar os mesmos valores humanos? Como linha condutora desta investigação foi traçada a hipótese de que indivíduos com as mesmas âncoras de carreira priorizam de forma semelhante os valores humanos que guiam seu comportamento. Nesse sentido, o referencial teórico deste trabalho apresenta um sistema conceitual fundamentado nos estudos de Schein (1993; 1996; 2006a; 2006b; 2006c) e Rokeach (1979; 1981) sobre carreiras e valores em virtude da importância dos mesmos para as suas respectivas áreas e pela repercussão internacional de seus trabalhos que propiciaram a validação dos instrumentos de pesquisa aqui utilizados: o questionário de âncoras de carreiras e a escala de valores humanos. As ações metodológicas são alicerçadas pelo tipo de pesquisa correlacional entre as variáveis: valores e âncoras de carreira. A pesquisa de campo ocorreu em duas partes. Na primeira, ocorreu a aplicação simultânea dos dois instrumentos mencionados junto a uma amostra de 100 discentes dos cursos de administração e contabilidade, do Centro Universitário do Pará (CESUPA) e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). Na segunda parte, foram realizadas entrevistas com uma pessoa de cada âncora de carreira, com exceção da competência gerencial, pois os resultados alcançados na primeira etapa foram suficientes para atender o objetivo aqui traçado. Os procedimentos de análise desses dados incluem, além da análise de conteúdo das entrevistas e das descrições das inclinações profissionais, a realização dos testes estatísticos qui-quadrado e coeficiente de correlação de Pearson, ambos aplicados para verificar a associação entre as variáveis desta pesquisa. O cruzamento dos dados obtidos por meio da utilização dos referidos instrumentos de pesquisa demonstra coerência com a hipótese formulada, pois os indivíduos com as mesmas inclinações profissionais atribuíram pontos similares nas suas respectivas hierarquias de valores, sobretudo quando se isolam os valores que podem ser ligados às características inerentes a cada âncora, presentes no conteúdo teórico de Schein e nos depoimentos dos entrevistados. Embora os resultados dos testes de correlação tenham apresentado significância moderada, os mesmos possibilitaram a identificação dos valores humanos mais propensos e os menos propensos de serem priorizados pelas pessoas dentro das diferentes categorias de âncoras de carreira. Nesse sentido, a conclusão dessa investigação reforça a influência dos valores humanos nas decisões de carreira.



Data: 05/06/2008
Autor (a): HENRI VAHDAT
Título: UNIVERSIDADE CORPORATIVA: UM INSTRUMENTO À SERVIÇO DA COMPETITIVIDADE
Banca:
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Orientador) [PUC-SP]
LEONARDO NELMI TREVISAN [PUC-SP]
MARISA PEREIRA EBOLI [USP]
LADISLAU DOWBOR (Suplente) [PUC-SP]
REGINA HELENA PERES MARTINS (Suplente) [ESPM]
Resumo: O objetivo do presente trabalho é apresentar uma proposta de universidade corporativa, tendo em vista a necessidade das empresas de alcançar novos patamares de produtividade e competitividade. O argumento apresentado é que o conhecimento tornou-se fator dominante na vida econômica das sociedades e, como tal, deve ganhar centralidade nas estratégias de países e empresas que queiram sobreviver e prosperar. No âmbito das empresas, em particular, as universidades corporativas têm provado ser um instrumento para o desenvolvimento do capital humano, amplificando as chances de sucesso dessas organizações em um mundo caracterizado pela mudança, complexidade e globalização. Essa dissertação está organizada em quatro partes, no decurso das quais o autor procura fundamentar seus pressupostos e proposições. A Parte I trata da emergência do que alguns autores convencionaram chamar de a economia do conhecimento. Argumentamos que conhecimento é, agora, a forma básica de capital e que crescimento econômico sustentável na nova economia mundial depende da concepção bem-sucedida de estratégias que envolvam o uso e a criação de conhecimento no centro do processo de desenvolvimento econômico. A Parte II descreve a escala e profundidade das mudanças desencadeadas pela economia do conhecimento e a conseqüente necessidade de uma nova organização empresarial centrada em mudança, inovação, eficiência operacional e sustentabilidade. A Parte III apresenta as origens, características distintivas e o valor que uma universidade corporativa pode agregar ao negócio. A Parte IV descreve duas experiências de implementação do conceito - uma no Brasil e outra no exterior – permitindo ilustrar em que medida as práticas empresariais atuais se aproximam da estrutura proposta. O método utilizado consistiu de pesquisa exploratória, tendo-se como objetivo evoluir as proposições atuais sobre o tema. O modelo proposto é utilizado para avaliar o grau de maturidade de duas implementações do conceito no mundo corporativo. Como conclusão do trabalho, tem-se que a universidade corporativa representa uma clara evolução com relação aos atuais departamentos de T&D e uma forma privilegiada de se qualificar a força de trabalho para a conquista de vantagens competitivas duráveis. Como sugestão para novas pesquisas, recomendamos investigar em que medida as UC têm servido para atrair e reter o capital humano das organizações.



Data: 27/05/2008
Autor (a): HYGINO CANHADAS BELLI
Título: SETOR AUTOMOTIVO BRASILEIRO: UM ESTUDO SOBRE A OFERTA E DEMANDA NO SEGMENTO DAS PICAPES MÉDIAS
Banca:
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS (Orientador) [PUC-SP]
ANTONIO VICO MAÑAS [PUC-SP]
SERGIO GOZZI [USP]
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO (Suplente) [PUC-SP]
NICOLAU ANDRE DE MIGUEL (Suplente) [FGV/SP]
Resumo: O automóvel, além de ser adquirido pelo seu valor de uso, outros valores estão embutidos na sua aquisição, como por exemplo, fatores emocionais e também por preferências e estilos distintos. Assim, tanto no Brasil quanto no resto do mundo, o automóvel possui grande importância na formação da riqueza, sendo objeto de análise para fornecimento de dados para análise de desempenho da economia. Dessa forma, como a competição acontece em seus diversos níveis, é necessária a adoção de algumas estratégias por parte das empresas que competem nessa atividade. Para que essas estratégias sejam implementadas visando à sustentabilidade do negócio, é preciso que a empresa tenha alguma vantagem em relação aos seus concorrentes na indústria em questão. Vantagem pode significar qualidade do que está adiante ou superior, e é essa a questão chave para se obter os objetivos almejados e permanecer competitivamente na indústria. Elemento fundamental para que as empresas direcionem seus esforços de marketing, o mercado sinaliza suas necessidades e, para que tais sejam atendidas e ou supridas, cada empresa individualmente adotará estratégias com base nos seus recursos e da maneira que ela interpreta os sinais do mercado. Em oligopólio, as estratégias são semelhantes pelo fato de existir interdependência entre as empresas, sendo que essa estrutura nos proporciona um vasto campo para o estudo e pesquisa acadêmica. O presente trabalho trata as relações entre a oferta e a demanda, que através das estratégias adotadas pelas empresas no segmento de mercado das picapes médias, é o foco para a ilustração da maneira como as empresas direcionam seus esforços de marketing para suprir as necessidades do mercado. A escolha do produto deve-se às peculiaridades do segmento no Brasil, que são os diferentes fatores que levam à sua compra, diferente dos demais países onde é produzido e comercializado.



Data: 07/10/2008
Autor (a): IVAN FARAH LELIS
Título: ESTUDO SOBRE A ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS DAS EMPRESAS DE AUTOPEÇAS NO BRASIL
Banca:
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS (Orientador) [PUC-SP]
MARIA CLOTILDE PEREZ RODRIGUES BAIRON SANT´ANNA [PUC-SP]
SERGIO GOZZI [USP]
LUIZ CLAUDIO ZENONE (Suplente) [PUC-SP]
NICOLAU ANDRE DE MIGUEL (Suplente) [FGV/SP]
Resumo: A Indústria de Autopeças tem uma grande importância dentro da economia nacional, faturando e investindo anualmente respectivamente US$ 29,8 bilhões e US$ 1,3 bilhões e gerando 200 mil empregos. Apesar dessa grande relevância, o setor vem apresentando resultados financeiros negativos. Algumas variáveis detalhadas a seguir podem colaborar com esses resultados financeiros negativos: estratégia de negócios não eficaz no mercado, alto custo de produção, excesso de mão de obra, custo da não qualidade do produto, necessidade de reposição de produto no mercado, entre outras. A primeira variável é o foco dessa pesquisa: estratégia de negócios no mercado de autopeças. O presente estudo busca identificar e entender as estratégias de negócios adotadas pelas empresas de autopeças e verificar sua respectiva eficácia, comprovando a relação direta entre a adoção da estratégia de negócios e o resultado financeiro. As estratégias de negócios adotadas pelas empresas de autopeças são comparadas com as teorias sobre estratégias de negócio das empresas, sendo avaliadas as respectivas semelhanças e diferenças. O trabalho é estruturado no referencial teórico que trata do tema, nas entrevistas e nos questionários realizados em indústrias de autopeças. Por fim, é proposto um modelo de estratégia de negócio eficaz para o mercado de autopeças no Bras.



Data: 22/10/2008
Autor (a): IVAN ROBERTO FERRAZ
Título: INDICADORES DE DESEMPENHO DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Banca:
ARNOLDO JOSE DE HOYOS GUEVARA (Orientador) [PUC-SP]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA [PUC-SP]
RAQUEL DA SILVA PEREIRA [IMES]
ANGELO PALMISANO (Suplente) [FMU]
LEONARDO NELMI TREVISAN (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo utiliza desde 2004 um modelo de gestão baseado nas Organizações Sociais. Nesse modelo, organizações públicas não estatais, qualificadas como Organizações Sociais de Cultura, firmam um Contrato de Gestão com o Estado, passando a assumir a responsabilidade pela administração de serviços, instalações e equipamentos culturais que antes eram geridos diretamente pela Secretaria. O Estado mantém seu papel de formulador das políticas culturais e passa a fiscalizar o trabalho dos executores dessas políticas, ou seja, das Organizações Sociais. Caso a instituição não atinja os resultados definidos em contrato, ela pode deixar de receber os recursos do governo ou até mesmo perder sua qualificação. A principal ferramenta para avaliar o desempenho dessas organizações é o sistema de indicadores definido no plano de trabalho de cada uma delas, no qual são apresentadas as metas que devem ser atingidas. O objetivo desta pesquisa foi identificar pontos de melhoria nos atuais sistemas de indicadores desenvolvidos para avaliar o desempenho das Organizações Sociais de Cultura do Estado de São Paulo. Para tanto, foram descritos e analisados os programas de trabalho e relatórios de atividades de três instituições representativas, a Associação dos Amigos da Pinacoteca, a Associação dos Amigos do Centro de Estudos Musicais Tom Jobim e a Fundação OSESP. Os resultados mostram que apesar da simplicidade dos sistemas de indicadores atualmente utilizados, estes possuem algumas características básicas que também são encontradas em modelos de avaliação identificados na literatura, como, por exemplo, a intenção de alinhar os indicadores aos objetivos estratégicos da instituição. Um ponto fraco importante detectado na pesquisa diz respeito à atual dificuldade de comparação entre o desempenho de duas ou mais organizações. As sugestões para aperfeiçoamento dos sistemas, apresentadas no fim do estudo, procuram minimizar este e outros problemas identificados no modelo atual.



Data: 01/12/2008
Autor (a): JAQUELINE ABRANTE GONÇALVES
Título: FUNDOS PARA INVESTIMENTO SOCIAL DAS ORGANIZAÇÕES DO TERCEIRO SETOR
Banca:
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Orientador) [PUC-SP]
LUIZ CARLOS MEREGE [FGV/RJ]
RUBENS FAMA [PUC-SP]
ARNOLDO JOSE DE HOYOS GUEVARA (Suplente) [PUC-SP]
JOÃO EDUARDO PRUDÊNCIO TINOCO (Suplente) [UNISANTOS]
Resumo: Para garantir sua missão e a qualidade dos serviços prestados, as organizações do terceiro setor necessitam captar recursos. É a prática de captação de recursos, seja através da formação de parcerias intersetoriais, seja através dos fundos de financiamento, que lhes permite alcançar sua sustentabilidade. Este estudo delineia o perfil dos fundos de financiamento que disponibilizam recursos financeiros para as organizações do terceiro setor, e os critérios para financiamento dos projetos sociais. Pressupõese que não haja variação entre as organizações beneficiadas pelos fundos de financiamento. A pesquisa realizada, de natureza quantiqualitativa, abrange 83 (oitenta e três) organizações que realizam investimento social, e destas, 48 (quarenta e oito) que financiam projetos de terceiros. Constatouse que não é possível definir um perfil único dos fundos de financiamento. Pela ausência de informações, não se pode inferir que os fundos beneficiam sempre as mesmas organizações. O número de fundos tem aumentado ao longo dos anos, proporcionando a criação de parcerias que geram alternativas inovadoras para a sustentabilidade do terceiro setor.



Data: 24/10/2008
Autor (a): JOÃO HENRIQUE RIBEIRO
Título: A APLICAÇÃO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO EM CENTRAIS RECEPTIVAS DE VENDAS DE CARTÃO DE CRÉDITO
Banca:
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS (Orientador) [PUC-SP]
JOSE PALANDI JUNIOR [PUC-SP]
ROSANA FERNANDES MIRAPALHETA [ESPM]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO (Suplente) [PUC-SP]
FRANCISCO CLAUDIO TAVARES (Suplente) [UMC]
Resumo: Este trabalho de pesquisa com caráter exploratório tem como objetivo verificar a utilização do Marketing de Relacionamento em uma central receptiva de vendas de cartão de crédito, como forma de aumentar a performance de vendas e incentivar a utilização do produto e fidelização do cliente, através de um estudo de caso. Sua relevância reside no fato de que o Setor de Telemarketing e Telesserviços é um dos maiores empregadores do país, além de ser uma das formas mais utilizadas por diferentes empresas (de cartão de crédito à serviços de telecomunicações) para a conquista de novos clientes. Apesar de ter grande potencial como um gerador de relacionamento e aproximação entre empresas e clientes, o telemarketing tem sido mal visto pelos consumidores, tem sido alvo de críticas de diferentes setores do mercado e tende a passar por um processo de regulamentação restritiva, onde as pessoas podem solicitar que não sejam abordadas pelas ações de telemarketing. Desta forma, compreender como o processo de relacionamento entre empresa e cliente, através de centrais receptivas de vendas, pode ser melhorado e estimulado torna esta pesquisa relevante para pesquisadores e empresas de diferentes segmentos. A fundamentação teórica foi construída a partir de duas abordagens: a utilização de iniciativas de Marketing Direto para a conquista de clientes e a análise dos esforços para sua manutenção, a partir do Marketing de Relacionamento, que aborda a construção de relacionamentos individualizados, como meio de identificar e satisfazer as necessidades dos consumidores. A análise dos resultados da aplicação do Marketing de Relacionamento em uma central receptiva de vendas de cartão de crédito sugere que sua utilização pode aumentar a quantidade de vendas, tendo impacto positivo na qualidade dos contatos e satisfação dos clientes, a partir do planejamento da comunicação que deve ser feito pelos atendentes, da melhoria da interação entre operadores e clientes e a partir da atenção dada às necessidades dos clientes que ligam para uma central de vendas.



Data: 29/05/2008
Autor (a): JOSÉ ANIBAL FERREIRA
Título: SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS DE TERCEIRIZAÇÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS DO SETOR FARMACÊUTICO
Banca:
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Orientador) [PUC-SP]
CARLOS ALBERTO GARCIA OLIVA [UNIFESP]
FERNANDO ANTONIO DE CASTRO GIORNO [PUC-SP]
ANTONIO VICO MAÑAS (Suplente) [PUC-SP]
REGINA HELENA PERES MARTINS (Suplente) [ESPM]
Resumo: Nesta dissertação, realiza-se uma pesquisa exploratória, no âmbito das empresas do setor farmacêutico, na adesão da terceirização de tecnologia da informação (TI), em que se pretende identificar os procedimentos de avaliação e critérios de seleção utilizados para a escolha de empresas fornecedoras deste tipo de serviço. A pesquisa empírica contempla duas empresas multinacionais e duas nacionais. Abordam-se, para tanto, a tecnologia da informação e sua evolução, a terceirização dos serviços de TI, e a indústria farmacêutica. A metodologia de pesquisa utilizada foi o estudo de casos múltiplos, o que permitiu ao pesquisador o aprofundamento em aspectos do processo de seleção e critérios de escolha adotados pelas empresas para a contratação dos prestadores de serviços. A pesquisa foi realizada com base em entrevistas, realizadas junto aos executivos ou gerentes de TI que atuam no processo de seleção em quatro empresas que já possuem contratos de serviços de terceirização de TI. As entrevistas foram conduzidas de acordo com o roteiro elaborado, a partir do modelo de pesquisa. Apresentam-se, ao final do trabalho, o resultado da pesquisa aplicada nas quatro empresas do setor farmacêutico relativos aos procedimentos de avaliação e a síntese dos critérios de escolha de fornecedores de serviços de TI. Os resultados revelam a imaturidade das empresas entrevistadas na contratação de serviços de TI. A maioria das empresas pesquisadas considera, de forma geral, um grau de importância elevado para os procedimentos de avaliação e critério de escolha, apresentados na pesquisa, mas do lado prático não fazem, ou melhor, não possuem ferramentas para executá-los, o que possibilita concluir que existe um amadorismo na escolha dos fornecedores de serviços de TI, o que proporciona riscos para a empresa, ao adquirir serviços que suportam o seu funcionamento. Acredita-se que a aplicação do modelo proposto neste trabalho poderá ajudar as empresas a minimizar riscos na aquisição de serviços de terceirização de TI.



Data: 28/10/2008
Autor (a): LUCIA LUCENA DE ANDRADE E SILVA
Título: MARKETING E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS: ESTUDO DE CASO DA PHILIPS NO BRASIL
Banca:
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO (Orientador) [PUC-SP]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO [PUC-SP]
ISAK KRUGLIANSKAS [USP]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Suplente) [PUC-SP]
ÍCARO ARANOVICH CUNHA (Suplente) [UNISANTOS]
Resumo: Os assuntos desenvolvimento sustentável e mudanças climáticas tornaram-se recorrentes no dia-a-dia de toda sociedade e não são mais exclusivos de cientistas e pesquisadores. As empresas passaram a modificar muitos de seus processos em função de exigências ambientais feitas por governos e consumidores. Dois pontos de grande preocupação são: a forma como os diversos bens de consumo são produzidos e os impactos ambientais que eles exercem no meio ambiente, na sociedade e na economia. Esta dissertação concentra atenções na importância do desenvolvimento de produtos e em seus ciclos de vida, levando em consideração os possíveis impactos provocados na natureza. Com base nas teorias do Marketing, Comportamento do Consumidor, Responsabilidade Social, Desenvolvimento de Produtos Ecologicamente Corretos e Análise de Ciclo de Vida de Produto, foi possível determinar aspectos importantes para que um produto seja considerado ambientalmente responsável. A partir da compreensão dos conceitos, estudou-se o caso da empresa Philips no Brasil e a sua linha de produtos de Iluminação Residencial e Decorativa a fim de analisar e avaliar os conceitos e as práticas, e se as lâmpadas fluorescentes podem ou não ser consideradas produtos verdes.



Data: 22/10/2008
Autor (a): FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO DE APLICAÇÕES DE BUSINESS INTELLIGENCE BASEADAS EM SISTEMAS ERP
Título: nonono
Banca:
ONESIMO DE OLIVEIRA CARDOSO (Orientador) [PUC-SP]
ANTONIO VICO MAÑAS [PUC-SP]
JOSE OSVALDO DE SORDI [UNISANTOS]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO (Suplente) [PUC-SP]
GETÚLIO K. AKABANE (Suplente) [UNISANTOS]
Resumo: Business Intelligence (BI) é uma solução de suporte à decisão que ajuda administradores e gerentes a transformar imensos volumes de dados transacionais em informações úteis, que, ao serem disponibilizadas no momento e no formato adequado, oferecem apoio em processos decisórios. Quando essa tecnologia é empregada em conjunto com o sistema ERP (Enterprise Resource Planning), elas se potencializam e os resultados ficam ainda melhores, pois o ERP forma uma base de dados integrada, contendo dados consistentes de várias áreas da organização. A exploração dessa base de dados corporativa pode oferecer um conjunto valioso de informações, que são extremamente úteis ao processo decisório da organização. Contudo, muitas empresas, ao implementarem bons projetos de BI do ponto de vista técnico, acabam não obtendo os resultados esperados de suas aplicações. Isso ocorre, pois o BI não diz respeito apenas a uma questão tecnológica, mas exige também atenção a outros fatores importantes, tais como: criatividade, cultura e pessoas que vejam a informação como um recurso estratégico. O presente trabalho procura entender o papel desses fatores que devem ser levados em consideração, pois podem fazer a diferença entre o sucesso ou apenas o resultado medíocre de um projeto. Para dar suporte à argumentação desse problema de pesquisa, realizase, nesta dissertação, um estudo de caso na empresa PETROM – Petroquímica Mogi das Cruzes S.A. Os resultados obtidos a partir das pesquisas bibliográficas e do estudo de caso demonstram que os fatores críticos para o sucesso de aplicações de BI analisados, podem exercer influência decisiva para o êxito de projetos de BI, em especial os fatores que tratam da importância do apoio executivo e do alinhamento das aplicações de BI com o negócio da empresa.



Data: 19/02/2008
Autor (a): MARIA DE FATIMA DUQUE CAÇADOR ALEXANDRE
Título: O PAPEL DO PROFISSIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL, SEUS REFERENCIAIS E DESAFIOS
Banca:
LADISLAU DOWBOR (Orientador) [PUC-SP]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA [PUC-SP]
LUIZ CARLOS MEREGE [FGV/RJ]
ARNOLDO JOSE DE HOYOS GUEVARA (Suplente) [PUC-SP]
HELIO CESAR OLIVEIRA DA SILVA (Suplente) [SENAC]
Resumo: A Responsabilidade Social Empresarial ganha destaque inédito na história. As transformações trazidas ou evidenciadas pela globalização contribuem para alterações na compreensão dos papéis dos agentes econômicos e nos modelos de relação das empresas com a sociedade. O entendimento linear de que o papel das empresas é só dar lucro aos acionistas começa a dar lugar a uma discussão que considera a complexidade do contexto atual, com todas as interações, interdependências e potencial de impacto dos elementos participantes. Após a II Guerra Mundial a criação da ONU facilitou a criação dos primeiros instrumentos de regulação internacional e hoje temos alguns grandes acordos da humanidade sobre direitos humanos, direitos do trabalho, proteção do meio ambiente, entre outros. Encontramos uma série de convenções, tratados, certificações e acordos, nacionais e internacionais, que buscam direcionar e garantir o comportamento socialmente responsável das organizações em geral e especificamente das empresas. Neste trabalho apresentamos a evolução do entendimento da responsabilidade social empresarial, e de que forma a ela foram incorporados conceitos de ética e desenvolvimento sustentável. Citamos em seguida as 33 fontes de referências consideradas mais destacadas para a prática da responsabilidade social nas organizações. O avanço da formalização das exigências e a expectativa de mudança da relação das empresas com a sociedade levou-as a desenvolver projetos dentro desse espectro, o que possibilitou o surgimento de profissionais de responsabilidade social dedicados exclusivamente, em alguns casos e, em outros, funcionários dedicados parcialmente, que acumulam atividades dessa área com outras. Com o objetivo de conhecer a realidade do papel do profissional de responsabilidade social empresarial foram realizados survey e entrevistas para identificar como os profissionais atuantes vêem seu papel na organização, as ferramentas e referências que utilizam, e, principais desafios que encontram. Sendo uma carreira nova, numa área também recente e com um corpo teórico ainda em desenvolvimento, pretende-se contribuir para a discussão, que ainda está no seu início, sobre o importante papel do profissional que assume estas atividades na empresa. A partir da análise da evolução do conceito e dos resultados da pesquisa, identificamos os desafios e as oportunidades que se tem encontrado e as competências requeridas por essa nova atividade profissional.



Data: 13/10/2008
Autor (a): MARIANA JUER
Título: AS RELAÇÕES PROFISSIONAIS NO PROCESSO DE MENTORIA
Banca:
NEUSA MARIA BASTOS FERNANDES DOS SANTOS (Orientador) [PUC-SP]
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS [PUC-SP]
CLAUDE MACHLINE [FGV/RJ]
MARIA CECILIA COUTINHO DE ARRUDA (Suplente) [FGV/RJ]
MARIA CLOTILDE PEREZ RODRIGUES BAIRON SANT´ANNA (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: Este projeto busca melhor compreender as relações entre mentor e mentoreado nos processos de mentoria nas organizações e o entendimento da mentoria como uma demanda organizacional atual. Esta dissertação contempla, então, bibliografia sobre a evolução desse conceito, sobre as características dessas relações, questões de diversidades que influenciam os processos, as possíveis disfunções e os papéis das partes envolvidas, com suas premissas e expectativas. A fim de observar essas relações em uma situação real, este projeto investiga as expectativas dos mentoreados e as premissas dos mentores quanto às principais funções da mentoria, além do nível de confiança existente nas duplas participantes do programa formal de mentoria para jovens talentos da Whirlpool S.A. As hipóteses estabelecidas para o estudo na empresa, de acordo com a teoria levantada, foram: H1a: As funções de carreira são as mais valorizadas pelos mentoreados participantes do programa de mentoria da Whirlpool S.A. para jovens talentos. Não confirmada. H1b: As funções de carreira são as mais valorizadas pelos mentores participantes do programa de mentoria da Whirlpool S.A. para jovens talentos. Não confirmada. H1c: As expectativas dos mentoreados estão de acordo com as premissas dos mentores, no que tange às funções da mentoria. Não confirmada. H2: Existe relação de confiança entre os participantes do programa de mentoria da Whirlpool S.A. Confirmada. H3: Mulheres e homens mentoreados têm expectativas diferentes em relação às funções de mentoria. Confirmada H4: As relações entre mentores e mentoreados no programa de mentoria formal da Whirlpool S.A. são saudáveis. Confirmada. Ao final desta dissertação, fica evidente a necessidade de existir complementaridade, empatia e confiança entre ambas as partes para o sucesso da relação. Mais que isso, um programa formal precisa deixar muito claro aos participantes qual o papel do processo, a fim de alinhar as expectativas dos envolvidos. É também necessário que seja muito bem estruturado tanto para formar duplas, através de um forte embasamento sobre as necessidades e características dos participantes, quanto no acompanhamento do processo para assegurar rapidez nas tomadas de ações no caso de possíveis disfunções.



Data: 30/10/2008
Autor (a): NICÉIA LUZIA SELETE SILVA
Título: A CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES: O REFLEXO DA APRENDIZAGEM DE ADOLESCENTES NA CULTURA ORGANIZACIONAL
Banca:
ANTONIO VICO MAÑAS (Orientador) [PUC-SP]
FÁTIMA MARIA PEGORINI GIMENES [UNIPAR]
JEAN PIERRE MARRAS [PUC-SP]
HAMILTON D ANGELO (Suplente) [PUC-SP]
RÉGIO MARCIO TOESCA GIMENES (Suplente) [UNIPAR]
Resumo: O objetivo primordial deste trabalho é avaliar a influência da contratação e do processo de aprendizagem de mão-de-obra adolescente na cultura organizacional de empresas. Para ser atingido, foi desdobrado em objetivos específicos, que pretendem: analisar legislação específica e pertinente que regula a aprendizagem profissional de adolescentes; estudar a aprendizagem e cultura organizacional e suas interligações; identificar características culturais e de aprendizagem organizacional das empresas com quotas de aprendizagem, demonstrando os elementos de maior destaque; avaliar a influência da presença obrigatória do aprendiz na cultura das organizações cotistas pesquisadas. Para isto, foram coletadas informações documentais do Projeto Adolescente Aprendiz, que aplica curso técnico-profissionalizante e encaminha os participantes para a aprendizagem prática nas empresas. Este projeto é desenvolvido pela Universidade Paranaense - UNIPAR, em parceria com a Guarda Mirim de Umuarama-PR, com o Ministério Público do Trabalho e com o Ministério do Trabalho. Além da avaliação de documentos e leis, a investigação também contemplou entrevista não estruturada, com a coordenação da Guarda Mirim, com representantes das empresas, com representantes do Ministério do Trabalho e do Ministério Público do Trabalho, com os adolescentes e com os monitores do curso teórico. Ainda, foi aplicado um questionário aos adolescentes e aos representantes das empresas contratantes. A discussão e análise de conceitos como aprendizagem organizacional, aprendizagem profissionalizante, gestão da aprendizagem, cultura organizacional, gestão da cultura e conhecimento, são predominantes neste estudo. Assim, se apresentam a fundamentação científica sobre o processo de aprendizagem e o processo cultural nas organizações e como estão vinculados. Aprendizagem de adolescentes no espaço empresarial é tema novo, que surgiu a partir da Lei Federal 10097/2000. As organizações que já atendem a esta normativa contratam aprendizes com menos de 18 anos, sem experiência. A questão que este trabalho propõe está ligada ao tipo de influência que estas empresas podem ter em seus grupos de trabalho, em sua cultura, partindo deste novo elemento humano em seu ambiente. Com a pesquisa constatou-se que, apesar de haver a percepção do uso dos aprendizes como mão-de-obra barata, a colaboração destes nas empresas é significativa no grupo onde trabalham, bem como, gradativamente, conquistaram a confiança dessas organizações.



Data: 06/06/2008
Autor (a): PATRICIA GIANNOCCARO VON HUELSEN
Título: REDES SOCIAIS NA INTERNET: AS COMUNIDADES E OS BLOGS COMO OPORTUNIDADES PARA A PUBLICIDADE E O MARKETING
Banca:
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO (Orientador) [PUC-SP]
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO [PUC-SP]
MAURO NEVES GARCIA [IMS]
ANTONIO VICO MAÑAS (Suplente) [PUC-SP]
LÉO TADEU ROBLES (Suplente) [UNISANTOS]
Resumo: Este trabalho discute as relações C2C presentes em blogs e comunidades na Internet brasileira como oportunidades para as práticas da publicidade e do marketing. Atualmente a Internet oferece mais do que informação gratuita, configurando-se como um espaço para as manifestações sociais, onde as pessoas retratam opiniões, buscam identidades e se relacionam com amigos e desconhecidos. As empresas, que normalmente buscam apenas audiência, podem agora interagir com seus clientes. A dissertação procura apoiar pesquisadores e agentes de marketing na tarefa de identificar as oportunidades de interação. É um estudo qualitativo, que utiliza a observação de algumas manifestações sociais e realiza entrevistas em profundidade, e que tem na sociologia e no marketing o apoio teórico. A pesquisa indica que as ações publicitárias e de marketing concentram-se em práticas pouco interativas, com a predominância do uso de banners e links, e que o uso das relações públicas e do marketing viral também ocorre. Indica ainda que as interações presentes nas redes sociais são sobretudo de ordem afetiva, mas a presença do marketing nas redes C2C traz relações também motivadas por interesses. A rede configura-se como um espaço pouco previsível, onde os papéis e as identidades entre consumidores e empresas se cruzam. Assim, a publicidade e o marketing têm como desafios nas redes sociais a observação das manifestações dos grupos, a qualificação das interações e o uso de ações multidirecionais.



Data: 20/10/2008
Autor (a): PAULO ROGÉRIO DE MEDEIROS
Título: PARTICIPAÇÃO DO RH NA ELABORAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA BRASILEIRA
Banca:
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Orientador) [PUC-SP]
LEONARDO NELMI TREVISAN [PUC-SP]
REGINA HELENA PERES MARTINS [ESPM]
ANTONIO VICO MAÑAS (Suplente) [PUC-SP]
ORLANDO CATTINI JUNIOR (Suplente) [FGV/RJ]
Resumo: O objetivo central desta dissertação é constatar se RH participa do processo de elaboração do planejamento estratégico (PE) nas empresas. Para tanto, estruturou-se este trabalho na busca da compreensão do processo de elaboração do PE; no entendimento da importância de se criar a vantagem competitiva e como criá-la; no resgate da perspectiva histórica da função de RH nas organizações; no estudo das políticas e práticas de pessoas que estão alinhadas a cada fase do planejamento estratégico; na definição de um extrato da indústria farmacêutica nacional para aplicação de pesquisa quantitativa, bem como em sua análise, e, por fim, apresentam-se as conclusões. As constatações finais demonstram que a área de recursos humanos ainda não é participante ativa do processo de elaboração do planejamento estratégico (PE), apesar da fundamentação bibliográfica indicar que RH possui um papel importante neste processo. Observou-se, não obstante esta constatação, que a empresa que mais se destacou dentro do extrato definido para a aplicação da pesquisa, detinha os melhores indicadores em relação à própria pesquisa (percepção mais favorável da participação de recursos humanos durante a elaboração do planejamento estratégico e na utilização de políticas e práticas de gestão de pessoas em todas as fases pertinentes e estilo mais coletivo de construção do PE), na rentabilidade do investimento e na maior participação de mercado. Não se pode afirmar que estes aspectos estão diretamente relacionados uns aos outros, porém pode-se dizer que há a possibilidade de que cada um deles tenha alguma influência sobre o outro e que o conjunto deles pode explicar o sucesso desta organização em detrimento das outras.



Data: 27/05/2008
Autor (a): PEDRO ANGELO TITTANEGRO
Título: A PERCEPÇÃO DOS PAPÉIS DO COORDENADOR DE CURSO E AS EXPECTATIVAS DA IES PRIVADAS SOBRE ESSES PAPÉIS
Banca:
ONESIMO DE OLIVEIRA CARDOSO (Orientador) [PUC-SP]
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO [PUC-SP]
SERGIO LUIZ DO AMARAL MORETTI [UNINOVE]
DANIEL AUGUSTO MOREIRA (Suplente) [USP]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: Este estudo nasce da necessidade de re-pensar e organizar o trabalho, para atingir os objetivos pessoais e institucionais, enquanto coordenador de cursos de graduação. O objetivo deste trabalho foi contribuir para a discussão sobre os papéis do coordenador de curso nas IES – Instituições de Ensino Superior privadas. Especificamente, estudar como se caracterizam esses papéis à luz das demandas do mercado sobre o sistema educacional. Procurou-se apresentar: 1)os conceitos sobre o ensino superior brasileiro – o panorama atual e os cenários e tendências – 2)as dimensões que interagem na definição desses papéis – tais como: a cultura organizacional, o planejamento, o processo decisório, liderança, as estratégias, a comunicação, além da missão, visão e crenças institucionais – 3)os papéis do coordenador de curso, segundo dois gestores institucionais: Davi F. Barros e Edson Franco, correlacionando-os com os papéis gerenciais propostos por dois conceituados pesquisadores em gestão; Henry Mintzberg e Robert Quinn. Pretende-se com este texto tecer algumas considerações sobre os papéis do coordenador de curso e a prática dos mesmos, sem a pretensão de oferecer uma análise abrangente e exclusiva sobre tal, nem mesmo definir e desenhar modelos. Este trabalho foi elaborado através de pesquisa da literatura, documentos oficiais do MEC, do INEP e de uma IES privada, além da legislação e de artigos de autores diversos, tanto na área de gestão universitária quanto de Educação. Traz ainda a visão do autor sobre o assunto, como professor e coordenador de cursos superiores, ao desempenhar tais papéis em IES privadas. Conclui-se, após a análise dos textos e situações, que o coordenador de curso vem assumindo papéis cada vez mais complexos e que demandam um conhecimento mais aprofundado sobre suas implicações no desempenho deste profissional e nas definições de metas e objetivos institucionais.



Data: 11/11/2008
Autor (a): ROBERT ALVAREZ FERNANDEZ
Título: O FUTEBOL BRASILEIRO COMO AMBIENTE DE NEGÓCIOS: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DE CLUBES NO BRASIL E NA INGLATERRA
Banca:
MARIA CLOTILDE PEREZ RODRIGUES BAIRON SANT´ANNA (Orientador) [PUC-SP]
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS [PUC-SP]
LEANDRO LEONARDO BATISTA [USP]
ANA AKEMI IKEDA (Suplente) [USP]
JOSE PALANDI JUNIOR (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: A presente pesquisa, de cunho exploratório, buscou entender o ambiente de negócios dos times de futebol no que se refere à administração de marketing e a diversidade de estratégias para obtenção de receitas. Para tanto se optou, além da pesquisa bibliográfica no âmbito do marketing, da estratégia e, especificamente, do marketing esportivo, e de análise em fontes de dados secundários do setor esportivo, por uma análise comparativa com clubes do futebol inglês. Na fase empírica foram estudados em profundidade dois clubes de futebol no Brasil e dois na Inglaterra, o que possibilitou a aplicação da metodologia de estudo de casos múltiplos. Ao final da pesquisa foi possível concluir que há uma limitada visão de mercado no cenário brasileiro, além da negligência dos clubes nacionais para com fontes de receitas importantes não apenas em seu aspecto numérico, mas, sobretudo, no que se refere à construção de relacionamento com o consumidor/torcedor. Acredita-se que as análises feitas nesta pesquisa e sua correlação com os números apresentados trazem contribuições tanto para o avanço da pesquisa acadêmica sobre o tema como também aos clubes brasileiros no sentido de repensarem sua relação com o torcedor de forma a trazê-lo de volta aos estádios o que, certamente, poderá gerar novos recursos que vão além da simples receita de bilheteria.



Data: 25/06/2008
Autor (a): ROGÉRIO MOREIRA
Título: A ROTATIVIDADE DE PESSOAL EM CALL CENTERS BRASILEIROS
Banca:
LEONARDO NELMI TREVISAN (Orientador) [PUC-SP]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA [PUC-SP]
MOACIR DE MIRANDA OLIVEIRA JUNIOR [USP]
ARNALDO JOSE FRANCA MAZZEI NOGUEIRA (Suplente) [PUC-SP]
HELIO CESAR OLIVEIRA DA SILVA (Suplente) [SENAC]
Resumo: Esta dissertação é o relatório de uma pesquisa desenvolvida para estudar as causas do alto índice de rotatividade de pessoal no setor de call centers brasileiros. Após uma revisão dos principais aspectos da gestão de call centers e da pesquisa sobre Rotatividade de Pessoal, optou-se por estudar a correlação com as práticas de gestão de pessoas, na mesma linha de pesquisa de Huselid(1995) e Batt (2002). Os dados necessários para alcançar os objetivos desta pesquisa foram obtidos através de um survey desenvolvido no âmbito da pesquisa The Global Call Center Project.A amostra é composta por 114 questionários respondidos por 103 organizações de 200 empresas consultadas entre as empresas associadas à Associação Brasileira de Telesserviços (ABT). A mesma pesquisa foi realizada em outros dezesseis países, permitindo análise comparativa dos resultados, ampliando o horizonte de análise. A análise dos dados foi efetuada em três etapas: a análise do modelo de gestão, a comparação das médias dos indicadores e, a análise multivariada. A primeira etapa mostrou uma demasiada ênfase no uso do modelo Produção em Massa de Serviços. A análise das médias mostra que os call centers brasileiros são extremamente rígidos no que se refere às práticas de uso obrigatório de scripts, monitoramento e autonomia. Estas práticas contribuem de forma negativa para a qualidade do trabalho, que mantém uma forte correlação a Rotatividade de Pessoal. Análise multivariada apresentou um bom ajustamento do modelo proposto, tanto do ponto de vista dos índices de ajustamento (R2 CS=0,549 e R2 N = 0,741) como pela capacidade discriminante (área da curva ROC=0,938), evidenciando que a correlação entre as práticas de gestão de pessoas e a Rotatividade Voluntária é considerável. Sugerimos como objetivo importante na gestão de pessoas a melhoria contínua da qualidade do trabalho, que é uma solução de compromisso, pois causa um impacto importante nos gastos da organização, no nível de serviço, aumenta a variabilidade e representa uma mudança na cultura gerencial em call centers.



Data: 12/05/2008
Autor (a): ROMULO OLINDO RIGON COIMBRA E SILVA
Título: MUDANÇAS DOS DIVIDENDOS E A PERSISTÊNCIA DOS LUCROS: UMA ANÁLISE DO CONTEÚDO INFORMACIONAL
Banca:
JOSE ODALIO DOS SANTOS (Orientador) [PUC-SP]
JOSÉ CARLOS LUXO [USP]
RUBENS FAMA [PUC-SP]
JOSE ROBERTO SECURATO (Suplente) [USP]
WALDOMIRO PIEDADE FILHO (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: O presente trabalho teve como objetivo principal verificar se é possível capturar conteúdo informacional nas mudanças de dividendos precedidas por mudanças nos lucros de mesmo sinal e de sinal oposto, ocorridas no mercado de capitais brasileiro, entre o período de 2000 e 2006. Buscou-se verificar se o sinal e a magnitude das mudanças de dividendos são reconhecidos pelo mercado como conteúdo informacional acerca da persistência ou da não persistência das mudanças precedentes de lucros. Adicionalmente, buscou-se verificar se o mercado utiliza mudanças de dividendos como conteúdo informacional sobre a lucratividade futura da empresa. Os resultados demonstram que mudanças de dividendos não são interpretadas pelo mercado de capitais brasileiro como conteúdo informacional relacionado à persistência ou à não persistência das mudanças precedentes dos lucros. O sinal das mudanças de dividendos também não é interpretado como conteúdo informacional sobre a persistência ou a não persistência das mudanças precedentes dos lucros. A magnitude das mudanças de dividendos não é reconhecida pelo mercado como conteúdo informacional referente à persistência ou à não persistência das mudanças precedentes de lucros. Além disso, o mercado não utiliza mudanças de dividendos como fonte de informação acerca da lucratividade futura da empresa.



Data: 18/11/2008
Autor (a): RONALDO FREDERICO
Título: CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES - UMA CRÍTICA À LITERATURA DO MANAGEMENT PELA ABORDAGEM POLÍTICO-ECONÔMICA
Banca:
MARIA CRISTINA SANCHES AMORIM (Orientador) [PUC-SP]
ARNALDO JOSE FRANCA MAZZEI NOGUEIRA [PUC-SP]
LILIANA ROLFSEN PETRILLI SEGNINI [UNICAMP/LI]
EDUARDO BUENO DA FONSECA PERILLO (Suplente) [COGEAE]
LEONARDO NELMI TREVISAN (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: Este trabalho tem por objetivo analisar a criatividade e inovação nas organizações como foco privilegiado do controle sobre a força de trabalho quando se trata da produtividade do trabalhador não repetitivo. Pretendendose um ensaio teórico e exploratório, a metodologia consistiu na crítica de parte da bibliografia voltada para o management, segundo a qual, autonomia e liberdade são bases para a criatividade. Por meio do estudo e revisão bibliográfica sobre as abordagens históricas da criatividade e alguns trabalhos existentes sobre inovação, o autor lança mão da literatura schumpeteriana e marxista e suas interlocuções com Weber, Foucault e Gorz para uma análise da criatividade e inovação nas empresas capitalistas. A criatividade, característica da força de trabalho, e a inovação, como resultado da produção de bens e serviços com valor mercadológico, são imprescindíveis para a acumulação capitalista. A criatividade é imaterial, não mensurável em termos de trocas relativas, enquanto que a inovação assume a forma de processos e produtos. As organizações focam na inovação, definida neste trabalho como criatividade transformada em forma de mercadoria, e desenvolvem controles crescentemente intensos, nas intermináveis relações de poder e contra-poder. Sistemas de recompensa e avaliação por desempenho são exemplos de métodos para evitar o desperdício de esforços e investimentos nas “linhas” de inovação. Motivação e prazer, base subjetiva para a cooperação e produtividade em altos níveis, também são necessários para a apropriação da criatividade da força de trabalho. Dito de outra forma, a alienação também conta. Uma pesquisa por amostragem com executivos de alto escalão ilustra as análises existentes neste trabalho e aproxima a teoria da prática de nossas empresas. As considerações finais apontam que enquanto aumenta a taxa de inovação, são ampliados simultaneamente a dominação e a subsunção do capital sobre o trabalho, a alienação dos ditos “executivos” e o acirramento da ética individualista, com sérias conseqüências para a sociedade.



Data: 28/05/2008
Autor (a): SAULO DE AGUIAR BONASSI
Título: A GESTÃO DA ESTRATÉGIA COMO PROCESSO DE APRENDIZADO
Orientador:
NEUSA MARIA BASTOS FERNANDES DOS SANTOS (Orientador) [PUC-SP]
ARNALDO JOSE FRANCA MAZZEI NOGUEIRA [PUC-SP]
MOACIR DE MIRANDA OLIVEIRA JUNIOR [USP]
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Suplente) [PUC-SP]
MARLY CAVALCANTI (Suplente) [CEETEPS]
Resumo: Esta dissertação busca entender como ocorre a aprendizagem estratégica nas organizações, e quais são elementos importantes para estimulá-la. Os dois principais motivadores para o estudo foram, de um lado, a percepção de um contexto cada vez mais desafiante para a sobrevivência das organizações, cujo ciclo de vida mostra-se cada vez menor; e, de outro, uma forte visão mecanicista, ainda predominante ao tratar os temas relacionados à estratégia e gestão, desprezando o aprendizado ao longo do processo. Nessa perspectiva, o objetivo geral do estudo foi explorar o processo de aprendizagem estratégica e os desafios a ele relacionados sob um paradigma mais descritivo que prescritivo, através da realização de um estudo de caso. Além disso, buscouse na revisão bibliográfica contextualizar o tema focando a intersecção entre estratégia e aprendizagem organizacional. Para realização da pesquisa foi selecionada uma empresa com forte capacidade de adaptação e transformação, na qual foi possível identificar claramente alguns ciclos de aprendizagem estratégica pelos quais passou a organização, e que contribuíram de maneira significativa para sua sobrevivência e crescimento. Para identificar estes ciclos e entender como eles aconteceram foi resgatada a história da organização em suas quase duas décadas de existência, usando a técnica narrativa do storytelling. A identificação e exploração dos grandes ciclos de aprendizagem do nosso caso permitiram entender como eles ocorreram. Percebeu-se claramente um processo muito mais fundamentado em estratégias emergentes e criação de sentido do que de estratégias deliberadas ou planejadas. Um processo marcado por um forte espírito visionário e empreendedor, baseado na experimentação, levando a organização a grandes reorientações, segundo as quais produtos, serviços, competências e até modelos mentais eram abandonados ou destruídos para a criação de um novo conjunto de referências. Estes ciclos parecem de uma forma ou de outra terem sido sistemáticos, ocorrendo sempre a cada três ou quatro anos, permitindo à organização pesquisada se adaptar, se transformar e seguir adiante. A análise realizada permitiu ao pesquisador identificar algumas características marcantes da organização, que de uma forma ou de outra permearam todos os ciclos de aprendizagem, e que se mostram elementos valiosos para ocorrência da aprendizagem estratégica. Todavia, mais que buscar elaborar uma teoria ou tratar de ser prescritivo, a contribuição maior do projeto está em fomentar uma reflexão sobre o processo de planejamento e gestão da estratégia, permitindo vislumbrar a sua construção sobre outros pressupostos que incentivem de fato o aprendizado e a inovação constante.



Data: 04/06/2008
Autor (a): SÉRGIO PAINELLI
Título: POUPA TEMPO: UM PROGRAMA DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO
Orientador:
LUCIANO ANTONIO PRATES JUNQUEIRA (Orientador) [PUC-SP]
ANTONIO VICO MAÑAS [PUC-SP]
VALMOR SLOMSKI [USP]
ARNOLDO JOSE DE HOYOS GUEVARA (Suplente) [PUC-SP]
ÍCARO ARANOVICH CUNHA (Suplente) [UNISANTOS]
Resumo: As mudanças nos contextos político, econômico e social, decorrente das transformações ideológicas, da globalização, da busca pela competitividade, entre outras, trouxeram inúmeros desafios às sociedades e aos Estados nacionais. O setor privado, nesse contexto, buscou de imediato novos métodos de gestão como forma de aumentar a produtividade, de diminuir custos, de otimizar o capital investido, de valorizar a eficiência, a eficácia e a qualidade para assegurar vantagem competitiva em um mercado de concorrência cada vez mais acirrada. Da mesma forma, o Estado mobilizou-se e a resposta encontrada foi a mudança, através da modernização administrativa, mais especificamente, pela via da reforma gerencial, cujo foco em resultados implica, entre outros aspectos, reforçar o conceito de cidadania, reforçar valores como eficiência e eficácia e administrar com foco no cidadão, buscando a melhoria da qualidade na prestação dos serviços. A implementação de um modelo de gestão nesse padrão, implica modificar uma cultura enraizada e associada a uma gestão burocrática. Envolve uma mudança das crenças, dos valores e das atitudes de funcionários e da organização como um todo. Nesse sentido, este trabalho busca analisar a implementação do Programa atualmente denominado Poupatempo – Centrais de Atendimento ao Cidadão, existente há dez anos, e que tornou possível essa prestação de serviços com qualidade à população. Os resultados demonstram o caráter inovador do Programa Poupatempo e, a partir da pesquisa de satisfação do usuário, foi possível constatar que, de uma forma geral, eles estão muito satisfeitos em relação aos serviços prestados e que é possível alcançar níveis excelentes na oferta desses serviços na gestão pública desde que atrelados a mudanças culturais.



Data: 07/10/2008
Autor (a): TANIA MAIA
Título: PESQUISA ETNOGRÁFICA: UM ESTUDO SOBRE O USO DESSE INSTRUMENTO NA GERAÇÃO DE IDÉIAS PARA NOVOS PRODUTOS
Orientador:
ANTONIO VICO MAÑAS (Orientador) [PUC-SP]
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS [PUC-SP]
ANA AKEMI IKEDA [USP]
BEATRICE GROPP (Suplente) [S/ VÍNCULO]
NEUSA MARIA BASTOS FERNANDES DOS SANTOS (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: Atualmente as empresas encontram-se em um ambiente bastante competitivo e necessitam inovar continuamente em produtos que possam atender os consumidores cada vez mais exigentes. Neste contexto, a pesquisa etnográfica, originada na antropologia, passa a adquirir importância na área de marketing, por ser considerada como uma das alternativas para gerar idéias para novos produtos. Entretanto, alguns estudiosos têm alertado pelo uso indiscriminado da técnica e, por não obedecer o rigor metodológico, têm aplicado o método de observação ao invés da pesquisa etnográfica. O presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de verificar como os profissionais de marketing têm utilizado a pesquisa etnográfica na geração de idéias para novos produtos. O trabalho utiliza como base teórica os conceitos e métodos da etnografia originada na antropologia e, a sua adaptação para o marketing. Posteriormente foi realizada a pesquisa de campo que se propôs a investigar junto a esses profissionais, como eles têm utilizado a ferramenta, quais são as limitações e contribuições para a área de marketing. Em conjunto com essas entrevistas foi analisada a metodologia aplicada em três projetos denominados etnográficos, para verificar se o rigor metodológico obedece os preceitos básicos da etnografia adaptada ao marketing. O resultado confirmou a existência do uso indiscriminado e a falta de um rigor metodológico, bem como a confusão na aplicação da metodologia com a técnica de observação, resultado da pressão por prazos, da falta de especialistas que dominem a técnica e do desconhecimento pelo próprio cliente que solicita a pesquisa. Apesar de entender as limitações desse estudo, chega-se ao ponto de que novas pesquisas devem ser desenvolvidas para o aprofundamento das questões-chave da problemática, e propiciar novos rumos a um instrumento que se conclui ser fundamental para a área de marketing



Data: 29/04/2008
Autor (a): TIAGO ALVES COSTA
Título: NOVAS FINANÇAS: UM ESTUDO SOBRE A FRAGILIDADE DA HIPÓTESE DE MERCADOS EFICIENTES
Orientador:
RUBENS FAMA (Orientador) [PUC-SP]
JOSE ROBERTO FERREIRA SAVOIA [USP]
ONESIMO DE OLIVEIRA CARDOSO [PUC-SP]
ALMIR FERREIRA DE SOUSA (Suplente) [USP]
JOSE ODALIO DOS SANTOS (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: A ciência das finanças, como toda ciência, apresenta uma linha evolutiva que de acordo com Kuhn (1970) é marcada por períodos de breve acumulação de conhecimento. Porém, de acordo com o autor, tais períodos são intercalados com revoluções científicas. Em outras palavras, a evolução científica é marcada por revoluções que abandonam antigos paradigmas e criam novos. Posteriormente à revolução, segue se um período onde as pesquisas são guiadas pelo novo paradigma com o propósito de fortalecer o próprio paradigma. De outra forma, a ciência financeira possui hoje um paradigma central conhecido como a hipótese de mercados eficientes (HME) que foi reconhecida e adotada pela comunidade científica por volta da década de 70. E desde aquela época, quase toda pesquisa feita na área, principalmente até a década de 90, foi guiada, e feita para validar e fortalecer a própria HME. Nesse sentido, este trabalho procurou evidenciar que a linha evolucionária das finanças proposta por Haugen (2000) segue o mesmo princípio evidenciado por Kuhn (1970), e que no momento atual, a HME encontra-se em um período que antecede a revolução científica e que é chamado de período de crise por Kuhn (1970). Esse período de crise, que antecede as revoluções, poderia enfraquecer a HME e abrir espaço para a criação de um novo paradigma. Sendo assim, o trabalho também propõe a evidenciar como que o processo de revolução poderá acontecer em finanças, e em seguida, também propõe quais seriam os candidatos mais propensos a substituir a HME como paradigma central em finanças. Para tanto, o trabalho considerou apenas dois candidatos: as finanças comportamentais e a teoria do caos. Para fazer tal análise, foram utilizados os princípios de “escolarização” propostos por Mckinley, Mone e Moon (2002). Tais autores propõem que um pensamento tem que possuir três características (novidade, continuidade e escopo) para ser considerado uma escola em teoria organizacional. O propósito do trabalho é de um resgate teórico básico que procura evidenciar a fragilidade da HME enquanto paradigma principal norteador das pesquisas em finanças. Assim sendo, o trabalho conclui que as finanças atuais enfrentam uma crise, e que nesse período, as finanças comportamentais apresentam a maior chance de substituir a HME em um futuro próximo, porém, a teoria do caos fornece uma promessa maior considerando um futuro mais distante.



Data: 12/11/2008
Autor (a): VICENTE DE PAULA MARTINS
Título: CENTROS DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS: ESTUDO DE CASO SOBRE O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO
Orientador:
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO (Orientador) [PUC-SP]
ANTONIO VICO MAÑAS [PUC-SP]
JOSE OSVALDO DE SORDI [UNISANTOS]
GETÚLIO K. AKABANE (Suplente) [UNISANTOS]
MAIRA PETRINI (Suplente) [PUC-SP]
Resumo: A implantação e expansão dos “centros de serviços compartilhados” ocupam lugar de destaque na atual estratégia de muitas empresas. Isto demonstra o valor e o sucesso de um modelo organizacional que apresenta como principais vantagens a redução dos custos e a melhoria da qualidade dos serviços para os processos administrativos e de suporte. Essa dissertação tem o objetivo descrever para este modelo organizacional, também conhecido como “shared services”, o seu processo de implantação através da análise dos principais pontos críticos vivenciados por uma empresa focal utilizada como estudo de caso.



Data: 21/05/2008
Autor (a): VILMA PORTES ATAIDE LOREY
Título: AQUISIÇÕES ESTRATÉGICAS: UM ESTUDO SOBRE O MERCADO DE CARTÕES DE CRÉDITO
Orientador:
BELMIRO DO NASCIMENTO JOAO (Orientador) [PUC-SP]
FRANCISCO ANTONIO SERRALVO [PUC-SP]
MOACIR DE MIRANDA OLIVEIRA JUNIOR [USP]
ALEXANDRE LUZZI LAS CASAS (Suplente) [PUC-SP]
JOSE OSVALDO DE SORDI (Suplente) [UNISANTOS]
Resumo: A dinâmica do mundo dos negócios na atualidade fez com que as estratégias organizacionais se adaptassem a um movimento complexo marcado pela globalização, competitividade, dinamismo e incertezas. Neste contexto, as organizações precisam buscar alternativas sustentáveis para se manterem no mercado. Entre essas alternativas, há uma preocupação acentuada na implantação de modelos de administração estratégica voltados para o posicionamento de marca, formação de parcerias e alianças estratégicas, processos de fusões e aquisições para se fortalecer junto a um mercado onde já possui atividades ou iniciar atuações em mercados desconhecidos. Ao analisar as tendências da economia, o setor financeiro ganha destaque devido ao aumento do crédito, aquecimento da economia, abertura de novos mercados, facilidades de comunicação e trocas de informações globais. Considerando as transformações ocorridas no mercado de cartão de crédito, a substituição do cheque pelo cartão continua crescendo. A tendência de substituição do cheque pelo cartão vai se manter nos próximos anos, uma vez que o dinheiro de plástico está cada vez mais popular. Com base nesse cenário o objetivo dessa dissertação de mestrado foi verificar como o processo de aquisição influencia as transformações no mercado de cartão de crédito e fortalece o posicionamento dos bancos nesse setor. Para alcançar esse objetivo, a metodologia de pesquisa utilizada foi um estudo de caso de um processo de fusão e aquisição ocorrido entre dois bancos para gerenciamento de emissão de cartão de créditos. Foram realizadas entrevistas não-estruturadas junto a atores que participaram de todas as fases do processo de fusão e aquisição. Os principais resultados desse trabalho foram: a confirmação do objetivo geral de que as fusões e aquisições que ocorreram nos últimos anos fortaleceram o posicionamento dos bancos. No estudo de caso a estratégia de comprar market share no segmento premium foi alcançada além de ter acesso a recursos qualificados e a novas tecnologias.



Data: 20/10/2008
Autor (a): WILSON ROBERTO ISCARO MULLER
Título: A INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS E A CRIAÇÃO DE VALOR PARA O ACIONISTA
Orientador:
JOSE ODALIO DOS SANTOS (Orientador) [PUC-SP]
MOACIR DE MIRANDA OLIVEIRA JUNIOR [USP]
RUBENS FAMA [PUC-SP]
EDSON FERREIRA DE OLIVEIRA (Suplente) [PUC-SP]
JOSÉ CARLOS LUXO (Suplente) [USP]
Resumo: O objetivo desta pesquisa foi analisar se, em comparação com as empresas domésticas, a internacionalização de empresas brasileiras criou valor para o acionista, tanto pelo melhor desempenho de mercado quanto pela redução do risco do investimento, considerando o risco total e o risco sistêmico, bem como pelo arranjo de ambos através da relação risco e retorno. Tomando o Índice IBX-100 como base amostral, foi composta uma carteira de ações de empresas brasileiras multinacionais e outra carteira de ações de empresas brasileiras domésticas para, então, se comparar o desempenho de ambas através do retorno médio mensal, do risco total, do risco sistêmico, do Índice de Sharpe, do Índice de Treynor e do Índice de Jensen. Deste par de carteiras iniciais, foram criados dois outros pares, um composto apenas por empresas privadas e outro composto apenas por empresas do mesmo setor econômico. A comparação do desempenho destes três pares de carteiras foi realizada em três períodos: o primeiro período foi de 1996 a 2007 – período com regime de câmbio administrado (1996 a 1998) e regime de câmbio flutuante com tendência de desvalorização do Real (1999 a 2002) e de valorização do Real (2003 a 2007); o segundo período, apenas de câmbio flutuante, foi de 1999 a 2007 – período de regime de câmbio flutuante com tendência de desvalorização do Real (1999 a 2002) e de valorização do Real (2003 a 07); e, o terceiro período foi de 2003 a 2007 – período de câmbio flutuante somente com valorização do Real. Os resultados mostraram que a internacionalização gerou valor para os acionistas em todas as amostras para todos os períodos, exceto quando se comparou as multinacionais às empresas domésticas de mesmos setores no período da valorização do Real (2003 a 2007), caso em que se constatou uma divergência entre o prêmio sobre o risco sistêmico ( Índices de Treynor e Jensen), menor para as multinacionais, e o prêmio sobre o risco total (Índice de Sharpe), maior para as multinacionais.

PUC-SP | Pontifícia Universidade Católica de São Paulo | Pós-Graduação em Administração Developed by DTI - Núcleo de Mídias Digitais